sexta-feira, 22 de junho de 2018

Do púlpito…



Do púlpito, o homem e político fala e gesticula. Apressadamente e convincentemente. Omite as verdades e diz as mentiras que não parecem mentiras.

A mulher e ladra, no meio da multidão faz-se atenta, mas vai roubando, aqui e ali, as esperanças de algumas pessoas.

Ela é profissional na arte de roubar esperança. Ele, profissional na arte de dar falsas esperanças.
Juntos são uma máquina de devorar esperanças e sonhos. E juntos vivem felizes, numa casa construída pelo suor de muitos alguéns.

A vida é assim! — dizem muitos — consternados.


SN