segunda-feira, 16 de abril de 2018

I’m Nobody! Who are you? — Emily Dickinson


I’m Nobody! Who are you?
de Emily Dickinson

[tradução de Sérgio Ninguém]


Eu sou Ninguém! Quem és tu?
És — Ninguém — também?
Então somos dois!
Não digas! eles anunciam-te — tu sabes como é!

Que triste — é ser-se — Alguém!
Que Público — tal como um Sapo —
É apregoar o nome — o Junho inteiro —
Para um Lamaçal embasbacado!


[original]

I’m Nobody! Who are you?
Are you – Nobody – too?
Then there’s a pair of us!
Don’t tell! they’d advertise – you know!

How dreary – to be – Somebody!
How public – like a Frog –
To tell one’s name – the livelong June –
To an admiring Bog!

Emilly Elizabeth Dickinson (Amherst, 10 de dezembro de 1830 - 15 de maio de 1886) foi uma poeta americana, considerada moderna para o seu tempo em muitos aspectos da sua obra. Muitas vezes até incompreendida.
Emily Dickinson, em toda sua vida, não publicou mais do que uma dezena de poemas, algumas vezes anonimamente, e só obteve a sua obra reconhecida, após a sua morte. Uma vida discreta e muito misteriosa. Sua poesia possui uma liberdade sintática única, muito próxima do uso oral da língua, densa e paradoxal. Em sua enigmática literatura, criou uma linguagem poética própria, desprezando as fórmulas ou a regularidade convencional.


https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Black-white_photograph_of_Emily_Dickinson2.png


boa poesia, a todos!
SN