domingo, 15 de outubro de 2017

sobre edição de poesia

Fez um ano, em Julho, que iniciei as publicações do magazine Eufeme e vai fazer um ano em Novembro, deste ano, que iniciei a colecção de poesia “Poetas da Eufeme” (PE).

Neste tempo publiquei 6 números da Eufeme e mais 9 títulos da colecção PE, e a juntar a estes iniciei uma nova colecção em Setembro deste ano, “Poesia da Eufeme”, com o livro “Escrito no Vento/Paroles de Vent”.


A poesia em Portugal precisa desta atenção, a que me dedico com uma imensa paixão. No entanto noto um ressurgir de mais publicações de poesia, e todas são bem-vindas a um panorama que a meu ver se encontrava adormecido.

Lembro que quando iniciei este projecto já se encontravam no mercado revistas como a DiVersos; a Piolho; a Telhados de Vidro; a Colóquio de Letras; a Relâmpago; etc. e todas com o seu estilo, diferente, umas das outras, mas no global e, em minha opinião complementam-se. Não é possível, nem desejável haver só um meio para a divulgação da poesia.

Por vezes, assisto também a discussões sobre poesia, que nada têm a ver com poesia. Discute-se quem é o melhor poeta do século HYZ ou o melhor poeta do norte e do sul, ou de Portugal inteiro com as ilhas. Não faz sentido: os gostos são diferentes, diversos e plurais… e isso é óptimo. Não tem que haver ninguém melhor do que ninguém e nem pior. Discussões destas separam em vez de juntar os poetas e muito menos a poesia.

Mas é uma experiência positiva e bastante gratificante.

Um abraço e boa poesia a todos!
SN