segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Anabela Tiago, "espremer a cabeça contra o soalho,"


© Foto de Sérgio Ninguém

*
espremer a cabeça contra o soalho,
cheio de arestas por limar
esmagar as palavras até saírem
pela boca fora, e furiosas
voam como pássaros livres até caírem
sujas e gastas no meu caderno
frases extremas e complexas
para que ninguém as entenda
é necessário um poeta meticuloso
para agregar tudo num único fôlego…

Anabela Tiago, 6 de Agosto de 2016


Nota:
Publico aqui um poema inédito de Anabela Tiago, à qual muito agradeço por me deixar publicar um poema seu e ainda por cima inédito. Obrigado Anabela!

É uma poetisa “hermética” que não se dá com os literatos habituais, vive para a poesia (sic).